Nobel da Física para os inventores das luzes LED azuis.

Os japoneses Isamu Akasaki e Hiroshi Amano e o norte-americano Shuji Nakamura são os vencedores do prémio Nobel da Física 2014, pela invenção das lâmpadas LED azuis, as únicas que permitiram criar a luz branca através de um novo processo.

nova-5b50.jpg

Cerca de 25% do consumo de eletricidade a nível mundial está concentrado na iluminação e, por isso, as lâmpadas LED têm tido um importante contributo para poupar recursos naturais / Kiyoshi Ota/Getty Images

O prémio Nobel da Física foi hoje atribuído aos investigadores Isamu Akasaki, Hiroshi Amano (Japão) e Shuji Nakamura (Estados Unidos), pela invenção do díodo eletroluminescente (LED), anunciou esta terça-feira o júri em comunicado.

Os consagrados foram reconhecidos pela invenção desta tecnologia, que permite significativas poupanças de energia.


As lâmpadas LED foram inventadas há 20 anos e desde então têm conhecido uma melhoria constante em termos de eficiência de fluxo luminoso - medido em lúmens - por unidade de energia eléctrica (watt). O recorde mais recente é de 300 lúmens por watt, quando as tradicionais lâmpadas incandescentes têm 16 lúmens e as fluorescentes 70 lúmens.


Cerca de 25% do consumo de eletricidade a nível mundial está concentrado na iluminação e, por isso, as lâmpadas LED têm tido um importante contributo para poupar recursos naturais. Ao mesmo tempo, o consumo de materiais para o fabrico de lâmpadas diminui com as LED, porque têm um tempo médio de duração de 100 mil horas, contra as 1000 horas das lâmpadas incandescentes e as 10 mil horas das fluorescentes.


As LED são também uma oportunidade para melhorar a qualidade de vida de cerca de 1,5 mil milhões de pessoas (quase 20% da população da Terra) que em todo o mundo ainda não têm acesso às redes elétricas. Assim, devido à baixa energia que é necessária para funcionarem, estas lâmpadas podem ser abastecidas por sistemas locais muito baratos de energia solar.


LED é a sigla inglesa de "light emitting diode", isto é, díodo emissor de luz. O díodo é um componente eletrónico usado como retificador da corrente eléctrica.

O Prémio Nobel da Física de 2014 foi atribuído aos inventores das LED azuis, as únicas que permitiram criar a luz branca através de um novo processo. Com efeito, já se conheciam há muitos anos os díodos vermelhos e verdes, mas não era possível obter luz branca a partir deles.


As lâmpadas incandescentes marcaram os sistemas de iluminação no século XX. As LED irão certamente marcar a iluminação das nossas vidas no século XXI.

Fonte:

Expresso


Search By Tags
Arquivo
Follow Us
  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
  • Pinterest Clean Grey
  • YouTube Clean Grey
  • Vimeo Clean Grey